segunda-feira, 15 de março de 2010

Uma razão para viver

Encontro-me num sítio escuro
Rodeado pela solidão
Não há nada mais triste
Do que não ter ninguém a quem dar a mão.

Tudo perdeu o seu sentido
Tudo perdeu o seu valor
Neste mundo sozinho
Já não há um pingo de amor.

De repente, um barulho, uma luz
Deixa-me sobressaltado
Será o fim que se aproxima?
Ou o começo há muito desejado?

Percebo, então, que é uma esperança
É um gesto, um carinho
Uma saída para ser feliz
Um propósito, uma razão para viver.

Ametista 3º lugar, concurso de poesia da e.s.s.m, 2009/2010

5 comentários:

  1. oh amor obrigada por teres publlicado o meu poema! e obrigada pelos comentários :D

    ResponderEliminar
  2. fgo mesmo lindo... =)
    ass: Monique!!

    ResponderEliminar