sábado, 28 de agosto de 2010

4 # Carta para o teu irmão (ou parente mais próximo)

4 # Carta para o teu irmão (ou parente mais próximo)
Já sabemos que há sempre desavenças, que há sempre discórdia, que estamos sempre a discutir, e que ao mínimo acontecimento o ambiente pode tornar-se bastante negro, e até haver agressões. Físicas, porque Psicológicas há sempre.
Mas lá no fundo e apesar de dizeres que não gostas de mim, que se pudesses escolher eu não seria tua irmã, que sou uma porca (por ser aquilo que ambas sabemos) eu sei que me vês como um modelo a seguir, já mo disseste uma vez. Uma vez, mas chegou para eu gravar essas pequenas palavras que valem ouro (principalmente vindas de ti) no meu coração.
Oh, não sei a quem é que saíste tão orgulhosa, mas devias, pelo menos ouvir, os conselhos que às vezes tenho para te dar. Como já passei pelo mesmo que tu, é mais fácil. Mas mesmo assim, não ouves. Ouves os 'amigos', e depois vens chorar para o meu ombro. Que faria eu se não ajudar-te? És minha irmã, é meu dever estar lá quando queres e quando não queres. Independentemente do que se passar, terei que dar o papel de irmã e ajudar.
Continuarei aqui piolha, mesmo que me chames nomes, que me queiras ver morta ou o resto das coisas todas que dizes que davam uma lista bem extensa e que não por aqui.
Lá no fundo sei que gostas de mim e isso é o mais importante;
deixa lá, eu também gosto de ti, e não te digo.

4 comentários: