sábado, 28 de agosto de 2010

6 # Carta para um estranho


6 # Carta para um estranho.


Para mim, já não és assim tão estranho. Vejo-te todos os dias. Mas tu, não me vês.
Reparei em ti há já algum tempo confesso. O teu sorriso e o teu olhar cativaram-me.
Quando consigo passar por ti, dá-me aquele frio'zinho na barriga. E não, isso nunca tinha acontecido com um Estranho.
Tenho seguido todos os teus passos; sei de cor todos os teus desejos, anseios e medos. Conheço-te mais do que devia para quem te intitula de Estranho, mas, no entanto continuas a sê-lo.
Na verdade, conheço-te por saber intrepertar cada gesto teu. Apenas sei isso; nunca tentei saber o teu nome, nem que idade tens, mas deves rondar os dezassete.
E também nunca tentei conhecer-te porque assim não poderia escrever-te esta carta, não é verdade?
Mas gosto de pensar assim, posso imaginar-te como alguém perfeito, que não és. Porque não há alguém perfeito. Gosto de ter o teu (não) nome gravado em mim, é giro. É giro não saber quem és e intrepertar-te da maneira que quero e bem me apetece. Podes ser várias pessoas diariamente. Depende do teu estado de espírito e dos teus gestos e reacções.
A verdade é que vou continuar na ignorância e não tentar sequer falar contigo. Gosto da situação.
Talvez um dia, notes que eu existo e dês tu esse paço.
Até lá, serás um Estranho conhecido.


5 comentários:

  1. Ahah, obrigado por seguires o meu blog :)
    Já tive nessa situação, de ter um estranho conhecido... mas depois fartei-me xD

    ResponderEliminar
  2. e por falar em estranhos .. anda aí um estranho que pronto *.* opah, o rapazinho tem a sua graça e eu ate consigo ve-lo todos os dias (a) é um estranho, mas que ate o vejo como um conhecido.
    obrigada Qéé (L)

    ResponderEliminar